See China right in front of you

Comecei a escrever este post enquanto dedilhava um e-mail de parabéns à minha prima chica que completou 23 anos de vida, no dia 5 de Maio de 2012 (que afinal era dia 4 de Maio) – dia em que estava de partida para o Dubai. Eram 5h40 quando, do autocarro que me levou até ao aeroporto, vilslumbrei o nascer do sol, pela primeira vez a oriente. Estava em Shanghai.

É uma cidade grande e engraçada, pelo qual não morri de amores, embora tenha aproveitado para regatear bastante e conseguir uns artigos da moda a preços bastante acessíveis. O truque é pedir menos de metade do preço que eles apresentam e nunca, mas nunca mudar a quantia.. ou é ou não é.. e a palavra final é sempre nossa. Se eles não quiserem, o vendedor da loja do lado pode estar disposto a aceitar a nossa proposta.. portanto nunca ficamos a perder, eles no fundo.. é que se habilitam ao tudo ou nada. Houve alturas que pensei que ia levar um murro na cara, tal era a cara de escândalo que eles faziam quando reduzia drasticamente o valor que eles consideravam justo para a venda de determinado artigo. Quando tal acontece, eles arregalam muito os olhos, a expressão fica muito sisuda, soltam meia duzia de palavras imperceptíveis em chinês e parece que viram “pokemons” com uma gota gigante de água na testa como se vê nos desenhos animados. Na altura que decido abandonar o estabelecimento, eles dizem.. “ok, give me the money” et voilá.. negócio fechado! Com isto tudo consegui um chapéu por 3€; uns Converse All Star por 9€; umas sandálias por 10€ e uma mala por 10€ também, num total de 32€ e umas 3 horas naquele andamento.

Os chinocas pouco percebem de Inglês, se bem que alguns desenrascam-se. Confesso que não os considero um povo muito simpático, têm expressões rudes e carrancudas e mesmo quando sorriem, perde-se o contacto visual porque eles fecham os olhos ficando difícil de perceber as suas intenções. Notei que têm um especial gosto de escarrar em qualquer sítio, puxando bem ao âmago da garganta como quem põe uma mudança a fundo. Encontrei-me com a Michelle, uma amiga minha holandesa que se encontrava em Shanghai naquela altura para um programa de 7 semanas numa universidade, onde estava a ensinar crianças a falar holandês. A Michelle foi a minha tour guide de serviço e a própria me inquiriu que, para além deste hábito nefasto, eles também gostam de comer com a boca aberta fazendo o bolo alimentar como se tivessem altifalantes nos maxilares, não dispensando a tranquilidade de um arroto ou de um peidinho no decorrer da refeição. O meu médico sempre me disse que nunca deveríamos conter qualquer gás que queira sair do nosso corpo..! Parece-me assim que os chinocas têm bastante em consideração a sua linguagem corporal no que toca a dar aso às contrações intestinais. Aliás.. pelo que descrevo parecem não ter limites para qualquer contração corporal..!

This slideshow requires JavaScript.

As últimas fotos do slideshow, mostram um parque. Cheguei a este parque depois de vaguear muitas horas por Shanghai. Um pequeno oasis no meio da selva urbana, o local ideial para o merecido descanso do guerreiro. A minha atenção disparou na direcção de uma senhora idosa vestida de vermelho, que dançava suavemente numa espécie de arte marcial com uns leques na mão. Senti-me a ver parte de um filme do matrix mas em slow motion. Mal sabia eu que estava relativamente perto dessa verdade. Do nada, ela retirou da sua sacola vermelha uma espada típica de samurai (como podem constatar nas últimas fotos do slidehow) demonstrando bastante perícia e agilidade para alguém daquela idade, continuando a demonstração num estilo slow motion. A espada, apesar de parecer pesada, aparentava pesar penas nas suas mãos, dada a destreza com que manejava a espada. Não mais me esqueci daquela tarde, não conseguia parar de lhe tirar fotografias.

Insha Allah Habibis!

MERY AL BONIFÁCIO

I started this post while texting my cousin Francisca for her birthday on May 5th, 2012. 5h40 am and I was on my way to Dubai while the sun was rising right in fron of my eyes, this time from the east side. I was in Shanghai.

It´s a very nice city, although I didn´t fall madly in love with it. However I did manage to bargue a lot and get very nice fashion articles for quite reasonable prices. The trick is.. demanding half of the price of what they actually ask you for, and never.. but never.. change that amount! The final word is always ours, the curstomers. If they are not happy with that, it´s their problem.. the shopkeeper from next door might be willing to accept our offer.. therefore we never are there to lose. The shopkeepers are the ones who allow themselves to lose a profit.. it´s all or nothing for them! During the bargening process, there were sometimes I thought I was going to be punched in the face when I presented them with the quantity I was able to give for certain articles.. they were so negatively astonished, their eyes got very rude expressions, they toss several understandable chinese words and looked like they were turning into “pokemons” with a giant drop upon their heads, just like in Asian cartoons. By the time you give up your price and abandoned the store, they will stop you and say.. “ok, give me the money!”, et voilá.. I got a hat for 3€; a pair of converse all stars for 9€, sandals for 10€ in a total of 32€ and 3 hours bargening and rounding the underground stores.

Chinese little or nothing understand from english, however some still manage to gesticulate some words. I don´t consider them the nicest people on earth. Their expressions are a bit rude and grumpy. Even when they smile we lose eye contact because they shut their eyes, which makes it hard to sight their intention´s expressions. I noticed they have a special habit to spit randomly on the streets at any time, pulling depply to their guts like a driver who pulls hard on the car brake. I met my friend Michelle there, who was my tour guide during this layover. She was there for 7 a week exchange program where she was teaching dutch to chinese kids. She added to my visual information, that chinese, besides spitting on the street, like to chew food with their mouths wide open, as if they had speakers on their jaws. In addition, they do not dismiss the ease of a burp or a fart during a meal, meaning their whole satisfaction while eating. My doctor always told me we should never retain gases in our body. It´s not healthy. It looks to me that chinese do have a lot of consideration for their “body language”, specially when it comes to deal with intestinal contractions. Actually they seem to never neglect any kind of body contraction..!

This slideshow requires JavaScript.

The last pictures of the slideshow are from a park. After hours walking, I arrived on this marvelous park in the middle of Sanghai´s urban jungle. I kept my attention on this old lady (you can see in the pictures) dressed in red, which was performing some kind of very slow dance with fans. It looked like I was watching a fight scene from matrix´s legacy but in slow motion. Minutes later, I ought to know that I was really close to that.. Out of a sudden, she took from her red bag a typical samurai sword and showed off her skills on some kind of martial art.. still in a very slow motion style. The sword, although big, appeared to weight feathers on her hand due to her magnificent agility while maneuvering the sword. I will never forget that afternoon. I could´t stop shooting her with my camera.

Insha Allah Habibis!

MERY AL BONIFÁCIO 

One thought on “See China right in front of you

  1. E semple falam como o Oltelino tloca letla?
    Escleveste bem outla vez!
    Pai. (desta vez fui o plimeilo a deixal lesposta!!!)

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s